Ao se falar sobre saúde dos ossos e envelhecimento, é importante compreender o que é osteoporose, quais são suas causas e como tratá-la ou preveni-la, com a adoção de bons hábitos que podem ser incluídos no cotidiano desde cedo.

Considerada uma doença osteometabólica, a osteoporose fragiliza os ossos e faz com que eles se tornem porosos, além de intensificar a redução de massa óssea do indivíduo. Hoje, no Brasil, de acordo com a Fundação Internacional de Osteoporose, IOF, há cerca de 10 milhões de pessoas que apresentam o distúrbio.

O processo de degeneração dos ossos se inicia quando o corpo tem dificuldade de realizar a renovação óssea. Isso ocorre por fatores que vão desde carência de cálcio e vitamina D até hábitos de risco, como tabagismo e consumo excessivo de álcool.

A osteoporose é mais comum em mulheres, em decorrência da menopausa e da redução da produção de estrogênio, hormônio que ajuda a absorver e a sintetizar o cálcio necessário para o processo de regeneração. Também pode, entretanto, ser apresentada por homens. Conheça mais sobre a doença de forma detalhada a seguir:

Causas da osteoporose

Devido à grande redução hormonal vivenciada pelas mulheres após o período, a menopausa é considerada um dos principais fatores responsáveis pelos quadros da doença.

Além dela, problemas renais, baixa ingestão de cálcio na alimentação, deficiência de vitamina D, disfunções na glândula tireoide, diabetes, leucemia e a hereditariedade impactam sobre as possibilidades de manifestação.

Alguns hábitos aumentam o risco de contração da osteoporose, como o consumo excessivo de álcool, o tabagismo, a utilização continuada de corticoides e uma vida sedentária, já que a prática regular de atividades físicas promove o aumento da massa óssea e seu fortalecimento.

Sintomas

Considerada uma doença silenciosa, a osteoporose demora a se manifestar e, quando ocorre, costuma causar dores agudas decorrentes de deformações nos ossos, especialmente na região lombar, pescoço e nas pernas.

Outros sinais que podem apontar sua existência são fraturas vertebrais, especialmente as causadas por quedas, problemas na curvatura dos ombros, redução de estatura proveniente da perda de massa óssea e diminuição de qualidade de vida, já que atinge principalmente a população idosa.

Diagnóstico

Para identificar a doença, o médico solicita um exame de densiometria óssea, no qual avalia, por meio de raio X, a densidade mineral dos ossos do paciente. Com os dados em mãos, compara os valores com os estipulados para a média considerada saudável em relação a peso, altura e demais características do paciente.

Além da conscientização sobre o que é osteoporose, a realização anual do exame, a partir de 45 anos para mulheres e a partir de 65 anos para homens, é fundamental para prevenir em casos nos quais tenha se iniciado um processo reduzido de degeneração, a fim de controlá-lo.

Tratamento

Para tratar a doença, a primeira iniciativa é a prescrição do aumento do consumo de cálcio ou suplementação desse nutriente e de vitamina D, responsável por sintetizá-lo no corpo.

Além disso, costuma ser recomendada a utilização de medicamentos que auxiliam a reconstruir um pouco da massa óssea ou impedir o avanço da degeneração, como bifosfonatos e calcitonina.

Para mulheres, a terapia de reposição hormonal ajuda o organismo a produzir mais estrogênio e a melhorar a capacidade de absorver o cálcio. Para quaisquer gêneros, a prática regular de atividades físicas como natação, caminhada e dança melhora a saúde óssea e reduz as dores, além de promover o bem-estar.

Em casos mais graves, é possível recorrer a cirurgias como vertebroplastia e cifoplastia, que tratam fraturas na coluna vertebral com métodos distintos de aplicação de cimento acrílico, também chamado de polimetilmetacrilato.

Saber o que é osteoporose e conhecer os riscos que a doença apresenta são as principais formas de incentivar a prevenção desde a idade adulta, impulsionando todos a terem hábitos melhores, seja praticando exercícios ou consumindo os aportes de nutrientes necessários em seu dia a dia.

Se você gostou deste artigo, não deixe de assinar nossa newsletter para receber mais conteúdos e novidades por e-mail.