A terceira idade é uma fase que pode ser muito produtiva e feliz na vida de uma pessoa. No entanto, é inegável que é um momento delicado do ponto de vista físico e exige alguns cuidados extras. Por isso, conhecer quais são os principais fatores de risco para a queda em idosos e como evitá-los pode ser muito importante.

Por meio da adoção de algumas atitudes simples e da realização de mudanças discretas na rotina e no ambiente frequentado pelas pessoas mais experientes, é perfeitamente possível prevenir um fato mais grave. Confira o conteúdo que preparamos a seguir e saiba quais são os principais fatores de risco para as quedas e como evitá-los.

1. Alterações na visão

Definitivamente, as alterações na visão estão entre os principais fatores de risco para a queda em idosos, afinal, doenças oculares são muito mais comuns durante a terceira idade. Os quadros são muito variados e incluem as ametropias (miopia, presbiopia, astigmatismo) e as patologias mais típicas da terceira idade, como glaucoma e catarata.

Para evitar que isso aconteça, a principal atitude é manter as consultas com um oftalmologista de confiança em dia, pois ele pode passar as orientações corretas e usar os artifícios adequados para minimizar o problema, como o uso de óculos específicos e, dependendo do caso, procedimentos cirúrgicos.

2. Fatores externos

Alguns fatores externos também estão entre os principais fatores de risco para a queda em idosos e merecem uma atenção extra para que não causem nenhum problema mais grave. Nessa lista, podemos incluir a iluminação inadequada, que além de diminuir a visão (que já pode ser prejudicada), ainda pode aumentar a sonolência.

As próprias vestimentas podem ser um agravante nesse tipo de situação, como o uso de calçados inadequados, como chinelos soltos e sapatos com o número errado. É muito importante que alguém observe esses fatores.

3. Uso de medicamentos

Muitas vezes, o uso de remédios é indispensável para que os idosos sobrevivam ou para que melhorem a sua qualidade de vida. No entanto, não é raro que essas substâncias tenham algum efeito colateral, tornando-se um fator de risco a mais para a queda de pessoas da terceira idade.

Quem usa medicações para dormir pode apresentar sonolência durante o dia, sobretudo se errar na dose ou ingerir o medicamento em um horário inadequado. Até mesmo remédios para pressão arterial podem causar problemas, como fraqueza e hipotensão. Mais uma vez, contar com um médico de confiança e ter atenção redobrada são pontos essenciais.

4. Doenças do sistema motor

As doenças que afetam o sistema motor também estão entre os principais fatores de risco para a queda em idosos. Elas incluem as que alteram a parte neurológica, como o mal de Parkinson e a esclerose múltipla, como também as articulares, como a artrose nos joelhos e fraturas no quadril, por exemplo.

Mais uma vez, o acompanhamento médico é crucial, pois mesmo que não resolva o quadro totalmente, ele ajuda a minimizar a sintomatologia. Contar com um serviço de monitoramento, como um botão de emergência, também é muito importante, pois ajuda a fazer com que o socorro seja rápido, em caso de problemas.

Esses são os principais fatores de risco para a queda em idosos! Ficou interessado em buscar uma solução? Conheça um sensor automático de quedas!